Anúncio

A criança como protagonista de sua história

A criança como protagonista de sua história
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

As metodologias aplicadas na escola e consequentemente na sociedade, cada vez mais fechadas acabam se tornando fábricas de mão de obra se distanciando por completo da essência do tão pregado construtivismo.

É urgente a necessidade de tornarmos comum na sociedade, principalmente nas escolas o protagonismo infantil. Ele mostra que as crianças são agentes importantes na sociedade e capazes de transformar o mundo à sua volta.

Crianças como transformadores do mundo

Empregar o construtivismo na educação não é se despir de conceitos ou de conhecimento, muito pelo contrário: é trazer como foco principal do ensino uma aprendizagem interativa, que o tempo todo relaciona indivíduo, conhecimento e o meio. Consequentemente, os estudantes se sentem mais estimulados a aprender porque conseguem perceber que os conteúdos tem realmente um significado e serão utilizados posteriormente na vivência do dia a dia.

É quando voltamos então nossos olhos para o protagonismo infantil e as culturas de infância.

A criança passa a ser protagonista quando ela deixa de ser apenas uma espectadora e de receber regras já prontas. Ela começa a participar da formação, tomando as rédeas do seu dia a dia.

O protagonismo infantil, dentro da sala de aula com o professor como mediador, dá oportunidade de as crianças se envolverem em uma alegria criativa e libertadora através de uma aprendizagem real, que faz parte realmente de sua vida e não como um conceito a ser decorada para ser acrescentado em seu currículo.

Vale ressaltar que o termo protagonismo infantil não significa fazer tudo o que se quer e tem curiosidade. Por isso, a necessidade da mediação do professor é tão essencial para acolher os interesses das crianças. É importante dar a esses pequenos a chance de se relacionarem e compreenderem seu espaço dentro de um contexto coletivo.

E não basta apenas inseri-las em ambientes de adultos. Devemos evidenciar que a criança continua sendo criança, com direitos garantidos, tempo.

Resumindo, a ideia de protagonismo infantil significa tornar as crianças agentes de seu próprio desenvolvimento, com poder para influenciar os seus arredores.

Isso significa entender que a criança não é valiosa apenas porque será o adulto de amanhã, mas sim porque ela já tem muito a contribuir e construir independentemente de sua idade. Para ser protagonista na comunidade, na
família, na escola, na igreja ou outros espaços que frequenta, a criança precisa ser valorizada e incentivada a expressar pensamentos, sentimentos e necessidades o tempo todo. Ela deixa de ser apenas quem recebe as regras prontas, e começa a participar de forma ativa em diferentes contextos de seu dia a dia.

Vamos praticar o protagonismo com nossas crianças?

Anúncio

Deixe seu comentário...

Com o facebook...

Ou com seu e-mail...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Anúncio