Anúncio
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Você reflete sobre sua vida acadêmica?

Você reflete sobre sua vida acadêmica? Principalmente se já concluiu todas as etapas…Consegue dizer qual matéria da escola ou faculdade faz mais diferença na sua vida hoje?

Acredito que assim como eu, você não utiliza bhaskara no seu dia a dia e muito menos faz uma análise sintática das frases que recebe em seu e-mail corporativo.

Claro que todas as matérias que aprendemos na escola são importantes! É através delas que criamos identidade com um área ou outra, pensando em nosso futuro profissional. Assim como ter uma visão geral do mundo e da sua história; como a vida se iniciou, nossas habilidades física também e consciência corporal, etc..

Mas é realmente suficiente?

A relação do aprender na escola tem muito pouco do que realmente é o ‘aprender’. O objetivo está mais focado em produzir mais, para ganhar mais, mas o pensar e refletir cada vez pra menos.

Iniciamos o ensino fundamental com o objetivo de nos prepararmos para o ensino médio e depois colegial, passar no vestibular e enfim, nos formarmos.  E então, temos que continuar a aprender mais, mas – novamente – para produzir mais e ganhar mais – dinheiro, prestígio, etc.

E cada vez menos sabemos lidar com problemas de verdade. Eu aposto que você só ouviu falar em “reserva de emergência e investimentos” lá pros seus 30 anos, quando começou a se questionar se a poupança era realmente o mais rentável. Ou então, foi pesquisar sobre meditação, quando percebeu seu corpo dando sinais de ansiedade e estresse. Ou até mesmo, sobre política somente quando te disseram que seu voto era obrigatório e que ele contava e muito pro seu próprio futuro e das próximas gerações.

Só que você teve matemática, educação física e geopolítica na escola e inclusive na faculdade, usando os exemplos acima. Então eu volto a te questionar, qual matéria realmente fez diferença na sua vida acadêmica?

Talvez as matérias estejam corretas, o que precisaria de ajuste são os conteúdos que estão ultrapassados e ainda fixados em um mindset de revolução industrial, onde se aprende unicamente para produzir mais (ganhar mais) e não para aprender.

Pois aprender é adquirir conhecimento ou habilidade prática através de estudo, experimentos, observação e raciocínio. E não ler um conteúdo para ser avaliado, única e exclusivamente.

E mesmo com uma grande parte da população repensando sobre a qualidade do ensino nas escolas, públicas e privadas, as cobranças em relação ao futuro do ser humano que está iniciando sua vida acadêmica não acompanha tal reflexão.

Ainda é colocada, por parte dos pais nos professores, 100% da responsabilidade de educar e além disso, lhe questionam de sua competência.

Como cobrar uma mudança dos professores em um cenário de total desvalorização?

Ainda encorajamos as crianças a pensarem desde seus poucos anos o que elas querem ser quando crescer, limitando seus sonhos com falas de “isso não dá dinheiro” ao invés de incentivarem suas habilidades e criatividade.
Com tudo que vivemos em 2020 e vimos, mesmo com todas as ultra tecnologias que temos, como estamos atrasados e pouco resilientes.

  • Quais seriam os conteúdos que nossas crianças deveriam aprender?
  • Quais conteúdos hoje na vida adulta nos fazem falta?

A educação contêm o aprender; mas o aprender não está contido na educação?

Anúncio

Deixe seu comentário...

Com o facebook...

Ou com seu e-mail...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Anúncio