Anúncio
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Poesia “A Ilha”

Depois de muito vagar por aí
Perdida em mim e de mim
Desembarquei na ilha da solidão
Aqui o silêncio impera

Não há vivalma
E no entanto há alma em tudo
Deparei-me comigo mesma
Quase não me reconheci


No início tratei-me feito uma estranha
Quando vi que não havia para onde correr
Onde me esconder
Ou de que me esconder

Encarei-me desnuda
Não de roupas
Mas dos ornamentos que escondiam a minha alma
Vi-me inteira, cada detalhe que compunha o meu ser

E senti todos os sentimentos e sensações possíveis
Por fim, entreguei-me
Rendi-me a mim mesma
A quem de fato pertencia

Foi um misto de derrota e vitória
O sabor só eu sei
A dor foi imensa e o alívio foi ainda maior
Só então me dei conta
A ilha não se chamava solidão

A ilha se chamava solitude
Onde impera a plenitude.

Anúncio

Deixe seu comentário...

Com o facebook...

Ou com seu e-mail...

Deixe um comentário

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Anúncio