Abismo de misericórdia

Abismo da Misericórdia Poesia
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Poesia “Abismo de Misericórdia”

E gradativamente,
as sombras pouco evidentes para quem vive buscando a luz,
na culpa por sentir algo que não é belo,
geram transtorno pela impureza de um julgamento.
A batalha eterna contra o próprio pensamento.
Num suspiro inseguro e singelo.

O ciclo continua,
Mal canalizada e drenada,
A energia perpetua.
Com a queda então anunciada,
cai-se a força e firmeza.
Angústia consome e cega,
a vista parece que se nega,
a enxergar toda a cristalina beleza.

Para onde caminhar?
O corpo trava,
A mente cala,
Qualquer loucura que se são,
Jamais poderia imaginar.
E então, para onde caminhar?

São das entranhas, a glória.
É a fúria guerreira e estoica,
O movimento que estilhaça a paranoia.
É trabalho, caminhada, é até forçada, essa pequena vitória.
É doída, é sofrida, mas é um passo,
Um grande passo, na verdade.

Na busca pela sanidade,
Sentindo a energia vital,
Mais próximo do amor Universal.
Entre a eternidade
e o último suspiro,
paira um abismo de misericórdia.
Visto as armaduras, recomeço a caminhada.
Salve a minha alma, pois continuo minha jornada.

Deixe seu comentário...

Com o facebook...

Ou com seu e-mail...

Deixe um comentário

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin