Anúncio
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Agir com ação ou agir sem ação?

Tem uma questão que pode perturbar aqueles que refletem um pouco sobre a vida e suas ações e pode ser considerado um verdadeiro dilema: saber quando agir e saber quando esperar.

Há uma linha tênue entre essas duas situações e que pode nos deixar no limbo diante de inúmeras situações da vida sem saber como agir, com ação ou sem ação.

Sugiro as seguintes reflexões:

  • Até que ponto algo depende de nós e até que ponto depende de outras circunstâncias, pessoas, destino?
  • Por que muitas vezes temos a sensação de que existem coisas que não importa o que façamos não conseguimos resolver ou conquistar?
  • Qual o limite entre livre arbítrio e destino?

É importante ressaltar que a não ação também é uma ação, não agir implica em uma postura que gera consequências que reverberam tanto quanto as procedentes de uma ação.

Colocar-se numa postura de “não escolha” é fazer uma escolha e precisamos ficar atentos a esse paradoxo para não cairmos na autossabotagem.

A ideia aqui não é trazer uma resposta pronta, pois ela não existe. É um trabalho diário e depende de diversos fatores, portanto cabe somente a cada um buscar suas respostas de acordo com a sua realidade e nível de consciência.

Independente da sua crença gostaria de compartilhar o trecho de uma oração sobre o tema proposto da qual gosto muito, segue abaixo:

Oração da Serenidade

“Deus, Conceda-me a serenidade
Para aceitar aquilo que não posso mudar,
A coragem para mudar o que me for possível
E a sabedoria para saber discernir entre as duas.”

Como muito bem expressado na oração acima somente através da sabedoria que podemos discernir entre as duas opções, o que depende de nós (ação) e o que não depende de nós (espera).

Somente através da sabedoria

Uma questão relevante é que muitas vezes nos sentimos frustrados com alguma coisa que não depende de nós, porém não nos damos conta disso. Quando entramos em harmonia com a vida e entendemos de que nada adianta sofrer por coisas que não dependem de nós as coisas fluem melhor e evitamos sofrimento desnecessário. 

 As coisas que não dependem de nós podem nos gerar sim muito sofrimento por uma sensação de mãos atadas onde muito pouco ou nada podemos fazer e querendo ou não estamos suscetíveis a isso, nesses momentos precisamos exercer a aceitação, pois de nada adianta lutar contra algo sobre o qual não temos controle, apenas pode nos gerar revolta e frustração.

Há um pensamento de Viktor Frankl que diz: “Quando não podemos mais mudar uma situação, somos desafiados a mudar a nós mesmos.”

Então podemos refletir sobre o que essa situação está querendo nos ensinar e o que precisamos aprender com isso.

Com relação às coisas que cabem à nós podemos dizer que não existe sensação melhor  que a de dever cumprido, ter a consciência tranquila consigo mesmo de que você deu o seu melhor em algo ou para alguém nos traz muita satisfação.

Saber o momento de esperar é fundamental, pois quantas vezes nos desgastamos com algo que por si só acaba se resolvendo? Quantas vezes dificultamos ainda mais a resolução de algum problema porque interferimos mais que o necessário?

Muitas vezes as coisas só precisam de tempo para que aconteçam, mas nós queremos tudo no nosso tempo de acordo com a nossa vontade e acabamos dificultando as coisas para nós e para os outros.

Então podemos concluir que é muito importante sabermos onde iremos empregar as nossas forças a fim de evitarmos dissabores, cansaço físico e mental e estarmos alinhados com os nossos limites e em equilíbrio com a natureza e o universo, para isso é imprescindível ouvir o seu coração, pois quando raciocinamos demais acabamos caindo no erro. Para isso vale a dica de sempre, quando não souber o que fazer, faça uma prece ou uma meditação e conecte-se com o seu eu superior para encontrar as respostas que já estão dentro de você, basta ouvi-las.

Ah, e não se preocupe, pois não é tão fácil como parece, mas vamos aprendendo com os nossos erros e com as respostas da vida porque tudo conspira a nosso favor.

Abraços de Luz

Anúncio

Deixe seu comentário...

Com o facebook...

Ou com seu e-mail...

2 respostas

  1. Adorei, parabéns pelo conteúdo!
    Acredito que o destino e o acaso andam de mãos dadas.
    Talvez não importa o que se faça ou que se deixe de fazer, o destino sempre se cumprirá.
    Talvez qualquer atitude (ação), ou a falta dela, modifique o universo, criando curvas na linha do destino.
    Gosto de pensar que quando estamos predestinados o universo irá conspirar a favor até que se consuma o predestinado.
    Porém, nossas ações podes acelerar ou retardar a jornada.
    Do efeito borboleta ao ósseo criativo esse assunto me fascina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Anúncio